L-Glutamina

CAS: 56-85-9

Fórmula molecular:

Peso molecular: 146,1

Sinônimos: Levocarnitina.

 

Características: Aminoácido não essencial, principal produto de degradação do acido glutâmico, usado como suplemento dietético e para regular a atividade das células cerebrais.

A glutamina é o aminoácido livre mais abundante no organismo. Sua concentração plasmática e de 0,5 a 0,9 mmol/L8, e aproximadamente 80% da glutamina corporal encontra-se no musculo esquelético, sendo esta concentração 30 vezes superior a do plasma.

É utilizada em altas taxas por células de divisão rápida e como veiculo para transporte de nitrogênio que ira dar suporte a síntese de ureia no fígado e de amônia no rim. Funcionalmente a glutamina é utilizada pelo intestino como uma importante fonte energética, como fonte de nitrogênio amídico para a síntese de nucleotídeos e no processamento de carbono e nitrogênio oriundos de outros tecidos para posterior utilização pelo fígado e pelos rins. Através de vias metabólicas, a glutamina fornece ainda carbono e nitrogênio para a síntese de alanina, citrulina e prolina.

Durante vários estados catabólicos como infecção, cirurgia, trauma e cidose, a homeostase da glutamina e alterada e suas reservas, particularmente no musculo esquelético, são depletadas.

Principais funções deste aminoácido:

•  Fundamental no metabolismo de diversos órgãos e tecidos, como rins, fígado, sistema imune e intestino.

•  Atua na degradação proteica prevenindo a perda muscular durante momentos de estresse oxidativo (efeito anti-catabolico) recuperando o glicogênio muscular após treino.

•  Promove síntese proteica aumentando massa corporal magra.

•  Pode-se converter em glicose com qualquer modificação aparente nos níveis de insulina no plasma .

•  Serve como um tratamento auxiliar no controle de peso.

•  Manutenção das funções do sistema imunológico como fonte importante de energia para os macrófagos, linfócitos e demais células.

•  Diminuindo a incidência de infecções, melhora o balanço nitrogenado e os parâmetros nutricionais de pacientes desnutridos em pós-operatório.

•  Indispensável na manutenção da integridade da mucosa intestinal na qual é utilizada como fonte de energia para enterócitos e colonócitos.

•  Promove melhora na permeabilidade e integridade intestinal.

•  Fornece energia aos fibroblastos, aumentando a síntese de colágeno.

•  Colabora com os aminoácidos glicina e cisteína na síntese doa mais abundante antioxidante hidrofílico intracelular: glutationa.

Indicações: Caquexia, terapia nutricional para prevenir perda muscular em casos de AIDS, câncer, em pacientes cirúrgicos. Também é usada para melhorar a força e a performance em atletas e prevenir déficits imunitários.