A Testosterona

A Testosterona

Testosterona é o hormônio responsável por diversas ações fisiológicas. Promove libido, perda de gordura, manutenção da massa magra e densidade óssea e previne doenças cardiovasculares. Isso torna a testosterona o pai de todos os esteróides.

Testosterona tem um incrível balanço de anabolismo/androgenicidade, sendo uma ótima droga para construir mais massa e força. Ela promove retenção de nitrogênio no músculo, isso significa maior síntese protéica. Testosterona também pode aumentar os níveis de outro hormônio anabólico, o IGF-1 no tecido muscular e a incrível habilidade de aumentar a atividade das células satélites que tem importante função na reparação muscular. Ela também se liga ao receptor androgênico para promover a perda de gordura e ganho de massa por mecanismos dependentes desses receptores, isso também aumenta a concentração de AR nas células, o que é indispensável para o reparo e crescimento muscular. Testosterona induz mudanças na forma, tamanho e também pode mudar a aparência e o número de fibras musculares. Androgênicos de forma geral podem proteger o tecido muscular do catabolismo e dos hormônios glicocorticóides inibindo suas ações. Além disso, promove aumento na contagem de células vermelhas no sangue o que pode promover melhoras em provas de resistência, através de um sangue mais oxigenado. Mais células vermelhas também melhoram a recuperação após atividade física estressante. Como você deve ter observado, os efeitos da testosterona são dose-dependente, isso é, quanto maior a dose maior o crescimento

Testosterona melhora a contração muscular aumentando o número de unidades motoras no músculo e melhorando a transmissão neuromuscular. Também promove a síntese de glicogênio que é o combustível para exercícios musculares intensos. Também promove aumento na agressividade o que explica a confiança dos atletas que a usam.

Testosterona também é boa para promover perda de gordura. Tendo um efeito antiestrogênico cria-se o ambiente perfeito para perda de gordura. Ela se liga ao AR nas células de gordura promovendo lipólise e prevenindo a formação de nova gordura. Outro efeito indireto é que a testosterona promove um grande crescimento muscular, e para esse crescimento ocorrer precisa-se de nutrientes, logo, menos substrato fica disponível para o tecido adiposo.

Testosterona será convertida no hormônio feminino estrógeno (pela via da aromatização) pela ação da enzima aromatize. Estrógeno em doses excessivas pode causa efeitos colaterais como: acne, o aumento do tecido mamário (ginecomastia), ganho de gordura e diminuição da lipólise, perda do desejo sexual, atrofia testicular e retenção hídrica que pode aumentar a pressão arterial. Além disso a testosterona interage com a enzima 5alfa-redutase  que a converte em Di HidroTestosterona (DHT) um forma mais androgênica do hormônio. DHT tem uma forte interação com tecidos que levam a queda de cabelo em usuários que apresentam tendência genética para tal. Além disso, o DHT pode afetar a próstata causando uma hiperplasia e podendo levar a problemas urinários. As drogas inibidoras dessa enzima  podem evitar esses efeitos sem bloquear a ação anabólica da testosterona. Doses altas de testosterona também têm um impacto negativo no colesterol, diminuindo a taxa de HDL. Testosterona, é provavelmente, o esteróide mais seguro, porém deve ser tomada de forma leve.

Os níveis de testosterona caem muito após os 50-60 anos. Esses níveis mais baixos significam perda de massa muscular, ganho de gordura e baixa libído. Então torna-se boa a idéia de uma reposição exógena de testosterona. Essa reposição também pode prevenir o mal de Alzheimer e outras doenças cognitivas, proteger os nervos, regenerar unidades motoras, melhorar o humor, memória, apetite, libído, melhorar a massa óssea e diminuir o risco de doença cardíaca. Deve-se tomar cuidado com altas doses, que podem resultar em efeitos colaterais.